Briga entre franquias de calzone vai parar na Justiça

Briga entre franquias de calzone vai parar na Justiça

Uma disputa comercial entre duas redes de franquias de calzone de Santa Catarina foi parar na Justiça. A Mini Kalzone, de Florianópolis, criada há 29 anos, acusa a concorrente Calzoon, de Joinville, de copiar sua marca e estratégia de expansão em franquias. A identidade visual das duas é branca, vermelha e amarela. A quimera começou em 2015, quando a Calzoon registrou a marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), órgão de direitos autorais.

 

Na época, a Mini Kalzone, cujo registro no órgão remonta a 2000, contestou sem sucesso a decisão. Em 2019, a Calzoon investiu na expansão em franquias — hoje são mais de 100 lojas. Aí a confusão ficou séria. “Os clientes começaram a confundir as marcas e recebemos reclamações de serviços prestados pela Calzoon”,­ diz o advogado Vinicius Neres, da Mini Kalzone, que acionou a Justiça Federal para reavaliar a decisão do Inpi, e a Justiça catarinense por concorrência desleal.

 

Para a Calzoon, os processos são “uma última tacada” de uma concorrente em apuros. “A Calzoon tem a marca concedida e não tem motivos para mudar”, diz o advogado da rede, Alexandre David Santos. Por ora, uma decisão da Justiça catarinense, de agosto deste ano, impede a expansão da Calzoon — e assusta franqueados. “O perdedor terá de mudar a logotipia, o que prejudicará a rede. Todas as unidades precisarão investir em marketing para comunicar a mudança”, diz Anna Vecchi, consultora de franquias.

 

Para especialistas, tudo isso reforça a importância de registrar uma marca quanto antes. “A data costuma ser um fator de desempate em disputas”, diz a advogada Andrea Oricchio, especialista em franquias. Ter uma identidade original também ajuda. “Todos sabem qual é a fonte da Disney ou da Tiffany’s. Agora, é mais difícil provar que uma marca é cópia quando o layout dela é o padrão do setor, como uma loja de açaí com tons de roxo”, diz.

 

Veja o texto completo aqui

Leia também

Coronavírus: Teoria da imprevisão serve de base legal para renegociação de contrato

A advogada Andrea Oricchio comenta que a aplicação da teoria da imprevisão justifica a revisão de um contrato quando há a imprevisibilidade de um evento, como a pandemia ocasionada pelo coronavírus Contratos podem ser revistos e renegociados. O isolamento social imposto à sociedade pode chegar a tal ponto que os empresários dos setores do varejo e […]

Saiba mais

LGPD para pequenas empresas: pode mandar WhatsApp? Tem que apagar dados antigos? Especialistas respondem

Só três em cada dez pequenas e médias empresas se julgam totalmente preparadas para lidar com a nova lei. Sanções passaram a ser aplicadas no inicio de agosto e podem render multas milionárias   A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor em setembro de 2020 e passou a aplicar sanções no início de […]

Saiba mais

Reclame aqui, resolva ali.

Revista Franquias e Negócios  

Saiba mais