10 dicas para ler a Circular de Oferta de Franquia

10 dicas para ler a Circular de Oferta de Franquia

Ler documentos antes de assinar é uma regra de ouro para qualquer pessoa.

No mundo das franquias tem um documento conhecido por uma sigla, que é quase um pré-contrato e que exige uma leitura atenta antes de ser assinado pelo(a) futuro(a) franqueado(a).

A Circular de Oferta de Franquia – COF é de suma importância para o(a) potencial franqueado(a) porque nela a empresa franqueadora relata tudo o que lhe oferecerá, tudo o que faz parte do negócio e também o que não faz, as obrigações e deveres dela, franqueadora, e do(a) franqueado(a).

Tão importante é a COF e a sua leitura prévia que a Lei de Franquias (13.966/19) estabelece um prazo de 10 dias para que o(a) investidor(a) assine o documento.

Assinada, a COF é a confirmação de que o(a) investidor(a) aceitou todas as diretrizes da franqueadora para ser parte dela e está pronto(a) para assinar o Contrato de Franquia.

Para que você, futuro(a) franqueado(a), leia a COF com toda clareza e possa assiná-la com toda segurança, o Portal do Franchising traz 10 importantes dicas.

As dicas foram dadas pela advogada Andrea Oricchio, membra da Comissão de Estudos Jurídicos da Associação Brasileira de Franchising (ABF), sócia-diretora do escritório Andrea Oricchio Advogados e uma das referências jurídicas do setor de franquias do País. Confira:

 

  1. Verificar se o franqueador tem experiência no mercado em que atua, e como franqueadora de outras unidades.
    Um franqueador inexperiente tem que começar pelo franqueado número 01, e isso não é sempre ruim. Ele está em processo de maturidade e isso deve ser discutido claramente com ele.
  2. Saber ler um balanço de maneira adequada exige conhecimento técnico.
    Busque a assessoria necessária e veja se a franqueadora está capitalizada suficientemente para prestar o apoio e suporte necessários à rede.
  3. O prazo de vigência do Contrato de Franquia permite o retorno do investimento.
    Verifique também se é possível alugar um ponto de venda durante esse prazo, porque muitos locadores restringem seus prazos de locação, e muitas vezes o prazo da franquia não corresponde exatamente ao prazo de locação.
  4. Entenda se a marca é mesmo de propriedade total da franqueadora, ou se ainda há alguma pendência ou oposição a ela.
    Se a franqueadora não conseguir a titularidade plena da marca, o franqueado poderá ter que trocar de marca no meio do contrato.
  5. Converse com vários dos franqueados listados na Circular de Oferta de Franquia.
    Fale com quem está na rede, e com quem saiu também.
    Eles têm uma percepção bem real da rotina e do comportamento da franqueadora. Fale com vários.
  6. Faça algumas simulações de desempenho e resultados com as informações da COF e com a ajuda da franqueadora também.
  7. Entenda como a franqueadora pretende explorar sua região através de vendedores próprios, outros franqueados, e-commerce, plataformas e qualquer forma que possa afetar o desempenho da franquia.
  8. Leia o contrato também com a ajuda de um advogado. Entenda como você está se comprometendo, e quais são seus direitos.
  9. Ninguém é obrigado a assinar o contrato só porque recebeu a Circular de Oferta de Franquia.
  10. A COF é uma oferta de negócio, e se o candidato não concordar com ela, pode simplesmente desistir de dar andamento ao processo de seleção daquela franqueadora.
    Esse é o principal motivo pelo qual a Lei de Franquia garante aos candidatos pelo menos 10 dias antes da assinatura de qualquer documento ou pagamento de qualquer taxa à franqueadora.
    Aproveite esse tempo para estudar a COF e o Contrato de Franquia, se consultar com contadores e advogados, comparar com outros negócios e confirmar que vale a pena se juntar àquela rede de franquia.

 

Se ainda estiver com alguma dúvida ou quiser saber mais informações da franqueadora, peça! Este é o momento de se conhecerem em detalhes.

Se a franquia já estiver em operação e a franqueadora pretende repassá-la a um novo franqueado, tenha cuidado redobrado.

Verifique se a operação está em dia com todas as suas obrigações, principalmente com relação aos funcionários da franquia, impostos recolhidos, aluguel e royalties pagos, e compromissos financeiros devidamente honrados.

Essa conta pode sobrar para o próximo franqueado que assumir a operação, portanto uma diligência bem feita pode evitar muita dor de cabeça.

Veja o texto completo aqui

Leia também

Briga entre franquias de calzone vai parar na Justiça

Uma disputa comercial entre duas redes de franquias de calzone de Santa Catarina foi parar na Justiça. A Mini Kalzone, de Florianópolis, criada há 29 anos, acusa a concorrente Calzoon, de Joinville, de copiar sua marca e estratégia de expansão em franquias. A identidade visual das duas é branca, vermelha e amarela. A quimera começou em 2015, […]

Saiba mais

Na Feira do Empreendedor, a Gazeta News de Guarulhos teve o prazer de entrevistar a representante da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Doutora Andrea Oricchio.

Gazeta News de Guarulhos: Nos últimos anos, a Feira do Empreendedor foi muito voltada para as franquias. Por quê? Doutora Andrea Oricchio: Acima de tudo, porque o risco do empreendedor é mais contido. Na franquia, trazemos todo o conhecimento da marca, e é esse conhecimento que se busca transmitir para o empreendedor que quer correr […]

Saiba mais

Nova lei preserva empresas de eventos e retira direito do consumidor

Lei 14.046, publicada em agosto, relativiza Código de Defesa do Consumidor e desobriga organizadores de shows, peças teatrais, feiras e congressos de devolver dinheiro por evento cancelado durante a pandemia Por Renata Pin   O setor de eventos foi um dos que mais sofreu com o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus. Atrações […]

Saiba mais